Maisrio

Mapa das Inovações Socioambientais do Rio de Janeiro

Bem-vindo ao maisRio

O que é o projeto? 

Somos um projeto de pesquisa colaborativo entre o Reino Unido e o Brasil, a fim de mapear uma agenda de pesquisa e possíveis locais de pesquisa e coprodução para inovação social e ambiental, com algum grau de tecnologia. O objetivo do projeto é mapear e conectar as iniciativas de inovação socioambiental existentes tanto no Rio quanto em Sheffield e produzir um mapa digital interativo. O objetivo do mapa é permitir e apoiar a operação e o trabalho em rede eficazes entre diferentes iniciativas e fortalecer os ecossistemas de inovação social e ambiental nos dois locais.

Lideranças locais e parceiros

Brasil: Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ – em parceria com as Organizações da Sociedade Civil: Data_Labe e PretaLab – Olabi Makerspace (Projetos de inovação social e digital)

Reino Unido: Universidade de Sheffield

A inovação social no Rio de Janeiro – Brasil

O Brasil é um país com uma das maiores desigualdades sociais do mundo. Diversos grupos com múltiplas vulnerabilidades lutam para acessar direitos básicos e políticas públicas. Nesse contexto, as iniciativas de base comunitária de inovação social e/ou ambiental são comuns em cidades como o Rio de Janeiro. Isso ocorre devido a ausência de ações governamentais e de mercado que dêem acesso e promovam direitos sociais básicos, atendendo às suas demandas. Por outro lado, a sociedade civil se articula em prol de garantir direitos e demandas por meio das inovações sociais e ambientais, utilizando-se do digital em diferentes graus. Assim, lida-se com problemas como saneamento básico, desinformação, falta de dados e acervos, acesso à cultura, tecnologia, educação e  saúde. 

A inovação social no Reino Unido – Sheffield 

Apesar de ser um país bastante diferente em diversos aspectos, o Reino Unido testemunhou um aumento da desigualdade nas últimas décadas. A cidade de Sheffield fica no coração industrial do norte da Inglaterra, com uma história recente e intensa de fabricação de aço. Como resultado de automação e consequente mudança estrutural na produção industrial, a principal atividade econômica de Sheffield teve um rápido declínio. Tais mudanças, combinadas com cortes no financiamento público, levaram a perda de emprego e a problemas sociais. Como resultado, Sheffield tem visto uma demanda crescente de serviços de apoio nos setores comunitário e de voluntariado, incluindo bancos de alimentos, clubes de empregos, iniciativas de treinamento e espaços de reciclagem e criação de produtos e serviços em toda a cidade.

Teorias e narrativas

A pesquisa realizada em dois locais tão distintos nos permite uma troca significativa de aprendizado em contextos de Sul e Norte global, dando potência a narrativas do Sul e desafiando a narrativa comum de que somente o Sul aprende com o Norte, o que é fato, mas o contrário também é verdadeiro.

 O projeto, portanto, considera teorias e visões do Sul e do Norte, enquanto orienta para necessidades e impacto no Brasil e em outros possíveis países das América Latina.

Tanto a Universidade de Sheffield quanto a Universidade Federal do Rio de Janeiro estão envolvidas como parceiras em iniciativas de inovação social, incluindo espaços de criadores, laboratórios de inovação, cursos e estímulo a empresas sociais e hubs comunitários.

Métodos de pesquisa

Pesquisa qualitativa exploratória de corte transversal.

Chamada pública de iniciativas na cidade do Rio de Janeiro, realizada em setembro de 2019, por meio de formulário e cadastro manual de iniciativas já conhecidas pela equipe de pesquisa. Foram registradas 53 iniciativas, universo total desta pesquisa.

Seleção de 20 iniciativas para entrevista em profundidade, por meio de roteiro semiestruturado. Realização nos meses de outubro e novembro de 2019.

Workshop de apresentação de resultados e discussões com 20 iniciativas entrevistadas e pesquisadores da temática. Realização no mês novembro de 2019.

Alguns resultados

Perfil das iniciativas

Surgiram entre 2014/2016, concentram-se nas regiões mais ricas do Rio de Janeiro, apesar de atuarem por causas periféricas. A maioria não possui sede, por motivos variados.

Iniciativas com/sem sede física
Área de atuação das iniciativas

Perfil dos inovadores

Em geral são mulheres entre 25 e 34 anos de idade, que se identificam com as causas das inovações com as quais trabalham, são remuneradas por elas e não moram ou vivem onde atuam.

Perfil dos inovadores por sexo
Perfil dos inovadores por idade

Recursos/Constituição

Operam sem auxílio direto do estado ou do mercado. São financiadas por pessoas físicas e/ou entidades filantrópicas, em sua maioria internacionais. A maioria é constituída como associação.

Tipo de constituição da iniciativa

Enfoques das iniciativas

Os enfoques no social e no ambiental muitas vezes são indissociáveis, tendo relações com o território físico ou território identitário. Se enquadram nos objetivos de desenvolvimento sustentável propostos pela ONU (ODS), são em sua maioria digitais e reconhecem gerar impactos positivos.

Iniciativa digital ou não
Iniciativas com foco ambiental x social
Enfoque principal da iniciativa

Entendimento sobre inovação social

Soluções criadas e desenvolvidas coletivamente para problemas sociais; ações baseadas em pluralidade e territorialidade.

Entendimento sobre inovação socioambiental

Construção de soluções coletivas com relação ao bem-estar e à preservação do meio ambiente

Entendimento sobre inovação digital

Atrelada à ferramentas de comunicação digital, redes sociais, smartphones.

Sustentabilidade

Ênfase no social – equilíbrio e redução de desigualdades, promoção dos direitos de minorias, melhoria nas condições sociais, combate à violência,

promoção das liberdades individuais constitucionais e preservação do meio ambiente

Relação com a universidade

Ambiente de formação e de estímulo à Inovação social; Forte relações com professores, pesquisadores e projetos de extensão.

Maiores desafios

Dificuldade de engajamento (“mudança na consciência e no ‘mindset’”); captação de recurso; burocracia relacionada ao governo e a legislações; aspectos políticos ligados ao executivo e legislativo que dificultam iniciativas específicas.

Maiores êxitos

Promoção de conscientização e mudanças; fortalecimento de laços afetivos territoriais e/ou identitários; realização pessoal dos agentes; formação de redes de apoio.

Sobre nós

O projeto MAISRio é uma pesquisa conjunta entre a Universidade de Sheffield e a Universidade Federal do Rio de Janeiro, realizado com parceiros da sociedade civil no Brasil e em Sheffield. O projeto é financiado pelo Global Challenge Research Fund – GCRF, do Reino Unido.

O Brasil é uma referência em áreas de prática participativa (por exemplo, Paulo Freire), inovação social, teoria crítica e coprodução. Tanto a UFRJ quanto a Universidade de Sheffield mantêm valores e missões semelhantes às das universidades cívicas, intensivas em pesquisa. Essa parceria promove a estratégia do SIID – The Sheffield Institute for International Development – de diversificar o conhecimento, descolonizar o currículo e trazer teorias do Sul para o centro da investigações acadêmicas na perspectiva do desenvolvimento internacional.

Parceiros

Faculdade de Administração e Ciências Contábeis/ UFRJ
Global Challenges Research Fund
Universidade de Sheffield
The Sheffield Institute for International Development
PretaLab
Data-Labe

Equipe

RITA AFONSO

Co-pesquisadora principal, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Rita Afonso é a Pesquisadora Principal do projeto. Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ – na Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, trabalha principalmente no campo da inovação social e tem interesse específico na relação entre trabalho com jovens nas favelas do Rio de Janeiro e tecnologia.

Email: ritaafonso@facc.ufrj.com

DOROTHEA KLEINE

CO-Pesquisadora Principal, Universidade de Sheffield

Dorothea Kleine é a pesquisadora principal do projeto. É Pesquisadora e Professora no Departamento de Geografia e Diretora Adjunta do Instituto de Desenvolvimento Internacional Sheffield (SIID). Ela lidera o Grupo de Tecnologias Digitais, Dados e Desenvolvimento no SIID. Temas como participação, gênero, justiça social e escolha são algumas de suas principais linhas de trabalho.

E-mail: d.j.kleine@sheffield.ac.ukso

LEE CROOKES

Co-Investigador, Universidade de Sheffield

O Dr. Crookes é professor universitário do Departamento de Geografia da Universidade de Sheffield e co-pesquisador do projeto. Como geógrafo / planejador crítico, ele está interessado em métodos qualitativos para explorar questões contemporâneas relacionadas à moradia, classe, gentrificação, regeneração urbana e conflitos associados sobre o significado e o uso do espaço.

Envie-me um e-mail: l.crookes@sheffield.ac.uk

SILVANA BAHIA

Parceira, PretaLab

Silvana Bahia é co-diretora do Olabi Makerspace, um espaço de inovação social no Rio de Janeiro com foco no empoderamento de mulheres negras e outros grupos marginalizados. Eles são um laboratório de treinamento digital, um espaço de criadores e uma comunidade de inovação social, trabalhando no campo da tecnologia e da inovação social. Silvana coordena e desenvolve o projeto Pretalab, estimulando o protagonismo das mulheres negras e indígenas no mundo das tecnologias e da inovação social digital.

E-mail: silvana@olabi.com

GILBERTO VIEIRA

Parceira, Data_Labe

Gilberto Vieira é co-diretor do Data Labe, um espaço para ativismo digital, inovação social e jornalismo de dados na Maré, uma das maiores favelas brasileiras situada no Rio de Janeiro. Eles se concentram no uso de dados abertos e de fontes coletivas para destacar questões de direitos humanos, visualizando-os em mapas digitais e trabalhando em mecanismos e articulações da produção cultural em territórios vulneráveis, unindo a política do cidadão e o empoderamento por meio de novas tecnologias e ferramentas digitais. Seu trabalho é realizado particularmente nas favelas e em processos participativos com grupos pobres e marginalizados. Isso inclui mulheres, pessoas negras, pessoas com deficiência e a comunidade LGBTQIA+.

E-mail: gilberto@datalabe.org

LUCAS LINS

Assistente de Pesquisa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Lucas trabalha nas áreas culturais criativas e artísticas como pesquisador, produtor e gerente desde 2005. Seus recentes trabalhos em projetos foram nos campos de projetos de patrimônio arquitetônico e documental, curadoria de exposições de arte em museus e centros culturais, além de digitalização de objetos raros. coleções de livros, bem como trabalhos de publicação, para citar alguns. Atualmente, ele está envolvido com projetos de sustentabilidade e inovação para a indústria de vestuário no interior do Estado do Rio de Janeiro. É bacharel em Produção de Comunicação e Cultura pela Universidade Federal da Bahia e frequenta, desde 2019, o curso de Mestrado no Programa de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio de Janeiro e o MBA em Gestão Cultural na Universidade Cândido Mendes.

E-mail: lucaslins@gmail.com

GABRIEL ORSI

Assistente de Pesquisa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Gabriel Orsi é aluno e pesquisador da UFRJ em Administração de Empresas. Seu trabalho se concentra no desenvolvimento de pesquisas na área de inovação social, inovação do setor público e criatividade nas organizações. Co fundador de uma Trabalhou e foi pesquisador no Laboratório de Responsabilidade Social do Instituto de Economia da UFRJ, onde desenvolveu artigos e trabalhos em parceria com os pontos de cultura do Rio de Janeiro. O seu interesse está em entender melhor as características dos empreendedores sociais, as estruturas de gestão e comunicação dessas organizações e como se articulam.

 

E-mail: tinoco.orsi@gmail.com

ANNA VAINIO

Pesquisador Associado, Universidade de Sheffield

Anna é atualmente pesquisadora de PhD na Universidade de Sheffield e ex-organizadora comunitária em Sheffield. A pesquisa de doutorado de Anna é realizada no contexto das comunidades costeiras no Japão após o terremoto e tsunami de 2011, trabalhando diretamente com as comunidades afetadas na região. Sua pesquisa explora particularmente a lacuna entre teoria e prática em abordagens baseadas na comunidade para o desenvolvimento pós-desastre. Como ex-organizadora da comunidade, Anna possui uma vasta experiência em trabalhar com comunidades locais em toda a cidade de Sheffield e está trabalhando no mapeamento de iniciativas sociais e digitais em Sheffield para o projeto.

E-mail: a.vainio@sheffield.ac.uk

GEOVANA PRATS

Assistente de Pesquisa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Geovana é estudante de administração de empresas na Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Em seus estudos, ela está particularmente interessada em pesquisas sobre consumo sustentável e inovação social.

E-mail: geovana.prats210@gmail.com

MIKE HENLINE

Tecnólogo em aprendizagem, Universidade de Sheffield

Mike é especialista em Realidade Virtual e Aumentada (RA) e está ajudando a desenvolver o lado técnico do projeto Nosso Mapa, desde o mapeamento de iniciativas sociais até a exploração do potencial da RA.

E-mail: m.henline@sheffield.ac.uk

Galeria

Contato

no rio

Rita Afonso
ritaafonso@facc.ufrj.br
Co-Pesquisadora Principal
Universidade Federal do Rio de Janeiro

em sheffield

Dorothea Kleine

d.kleine@sheffield.ac.uk

Co-Pesquisadora Principal

Universidade de Sheffield

MaisRio: Início                          Mapa Digital 

Share this: